Arquivo da tag: redes sociais

11
out

O Trabalho de um Assessor de Imprensa

Infelizmente, algumas pessoas simplesmente não conseguem entender o propósito ou o trabalho de uma Assessoria de Imprensa. Lendo sobre esta área de trabalho importante da comunicação, percebi que alguns autores defendem que a ascensão das Assessorias de Imprensa está relacionada com o fato de elas influenciarem a agenda dos meios de comunicação e a dependência, pelas redações, das informações fornecidas por essa rede de divulgação jornalística.

O próprio manual de Assessoria de Imprensa adotado pela Federação Nacional de Jornalistas profissionais mostra a importância desta profissão para atingir uma melhor comunicação com o público–alvo. Neste manual os profissionais de AI contribuem para o aperfeiçoamento da comunicação entre instituição e a opinião pública. E, bem resumidamente, é isso mesmo. Fora que atualmente temos que monitorar a imagem do cliente nas mídias sociais, dar um treinamento de como melhorar a comunicação entre empresa e comunidade, além de estar sempre alerta para tudo o que envolve o cliente.

A atividade de Assessoria de Imprensa é vista como a ponte entre as informações corporativas (sejam elas de empresas, entidades ou até mesmo pessoas) e a mídia. Devido uma crescente preocupação em se aproximar do público-alvo, esta atividade vem sido cada vez mais procurada para se atingir este fim. Não é um trabalho fácil como muitos pensam. Longe disso. Mas é maravilhoso ser a ponte de informações.

 Thalita Guimarães

27
ago

Mídias online

Neste fim de semana fiz mais um curso para aprender sobre as novidades de comunicar utilizando as plataformas existentes no mundo virtual. As chamadas mídias online são tantas e com tantas especificações que é preciso se atualizar o tempo todo. Bem ao estilo da frase: “o tempo muda o tempo todo, no mundo”.

E, por incrível que pareça, a cada novo curso eu me surpreendo com a quantidade de ferramentas existentes para este público, cada vez mais ávido por notícias de todos os tipos, das mais diversas formas. Aprender o que escrever, para quem e que tipo de linguagem é válida para cada ferramenta é, atualmente, o meu admirável mundo novo.

Hoje, depois de já ter experiência com algumas páginas do face, administrando contas no twitter, buscando formas de alavancar os blogs que escrevo, descobri que eu não sou apenas aquela que administra conteúdo para estas ferramentas. Sou também o público-alvo direto destas mídias. Vai ver que é por isso que gosto tanto de aprender mais sobre o tema.

Thalita Guimarães

27
mar

Redes Sociais

Não é questão só de moda. As redes sociais viraram meios práticos de comunicação e compartilhamento de ideias. Aqui mesmo na Talk temos nos aprimorado a cada dia nesta questão e estamos reformulando nossas ferramentas nestas áreas. Quem nos segue no Twitter, por exemplo, já deve ter notado que mudamos nossa maneira de comunicar por lá. E o resultado já apareceu. São novas pessoas seguindo, novos contados se fazendo e o desafio de comunicar bem em apenas 140 caracteres tem se mostrado, a cada dia, mais interessante. Tanto é que estamos sempre atentos ao que está acontecendo nas redes, como podemos utilizar estas ferramentas e o que podemos aprender com elas.

Não faz muito tempo estava lendo um artigo sobre o que as redes sociais fizeram com os mascotes das empresas, por exemplo. Na verdade, elas ajudaram a ressurgir essas figurinhas simpáticas e engraçadas. O mascote do Ponto Frio é um exemplo positivo. Quem nunca ouviu falar do o personagem Pinguim da empresa? Para quem não sabe, ele faz o maior sucesso nas redes. O segredo está na forma inusitada de se apresentar. Quem segue o personagem no Twitter percebe que a ação deste mascote muitas vezes (creio que na maioria) não tem nada relacionado a descontos ou brindes. Ele fala sobre as férias que tirou (sim, podemos ver as fotos do Pinguim de férias no Guarujá), responde os seguidores e até faz brincadeiras. Assim, desta forma divertida, conseguiu fazer com que a página do Ponto Frio fosse uma das mais seguidas e comentadas, tornando a imagem da empresa mais carismática.

Esta é uma questão curiosa que vale a pena ser pensada. Para quem quiser saber mais sobre o assunto, segue o link em Inglês do artigo sobre o ressurgimento dos mascotes por causa das redes sociais. Vale a pena conferir:

Mascots-Comeback-032612.aspx

Aqui na Talk estamos sempre de olho!

Thalita Guimarães 

26
ago

O lado perigoso do Twitter e do Facebook

Recebemos aqui na Talk um link que mostra como uma atitude descuidada no Twitter, no Facebook ou no Orkut pode levar alguém a perder o emprego e até a ser deportado numa viagem internacional. Como comunicadores, estamos sempre atentos no funcionamento destas ferramentas.

Por isso, achamos interessante compartilhar, pois muitas vezes não nos damos conta da repercussão de que apenas uma única frase pode causar nestes meios. Vale a pena dar uma olhada:

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/o-lado-perigoso-do-twitter-e-do-facebook
Thalita Guimarães

12
jul

Profissional x Pessoal

Estava lendo as notícias diárias, ao final do expediente, como de costume, e me deparo com uma notícia dizendo que certo veículo de comunica-ção aconselhou aos jornalistas que não utilizassem o seu Twitter pessoal para expressar qualquer opinião a respeito de notícias e assuntos em pauta.

Sei que não é somente esse veículo e não é só com jornalistas que isso acontece. Alguns veículos estendem o contrato de “exclusividade” também a atores e demais profissionais. Quando questionadas, as emissoras dizem que zelam pela exclusividade e pela imparcialidade.

Pela exclusividade é compreensível até certo ponto, pois os profissionais assinam um contrato dizendo que trabalharão exclusivamente para o veículo. Embora eu acredite que a maioria é ético e costume não confundir as coisas no que diz respeito a pautas e notícias. Ninguém vai sair por aí dando uma notícia exclusiva primeiro no Twitter pessoal, sendo que fez uma pauta para o veículo com o mesmo tema.

A imparcialidade é bastante questionável. Primeiro que um ser humano tem o profissional e o pessoal, e são lados separados da vida, ou pelo menos deveriam ser. Em segundo lugar, questiona-se até que ponto uma notícia é completamente imparcial, pois existe sempre alguém por trás disso. Embora a maior parte dos veículos e autores preguem essa imparcialidade, ela pode estar longe de ser alcançada.

Fabíola Cottet

27
mai

Viva a tecnologia

Vivemos na era da tecnologia, este fato não é novidade. Mas acho a coisa mais fofa do mundo meu avô não entender como falo todo dia com minha irmã, que atualmente está morando nos Estados Unidos, e ainda a vejo. Aliás, muitas coisas curiosas estão acontecendo comigo por causa do poder da tecnologia e da globalização que algumas pessoas acabam falando comigo com o sorriso na orelha como quem diz: “Nossa, você é aquela menina que comprou o vestido de noiva pela internet?”. Inclusive a porteira do prédio que trabalho, que vinha falar comigo todo dia perguntando se chegou.

E quando chegou (maravilhoso, por sinal) o escritório todo se mobilizou para ir buscá-lo comigo e depois ver como era. Até porque fiquei histérica! Pensando nisso, realmente vivemos em uma época extraordinária. Temos acesso a todas as informações, a todos os produtos, a todas as pessoas, enfim. Não sei mais viver sem estas facilidades, sem comprar pela internet, sem ver minha irmã todo dia a quilômetros de distância. Viva os dias atuais!

Thalita Guimarães

8
abr

Viral que todo mundo gosta

Já postamos aqui no blog alguns vídeos desses chamados “virais” que circulam muito rápido pela net via email, twitter ou facebook. Eles lançam moda, propagam gírias e piadas internas, já vi pautarem várias matérias na imprensa e, claro, fazem propaganda. O negócio é que a propaganda pode ser boa ou não. A rápida interação que as redes sociais promovem ainda deixa os setores responsáveis pela imagem da empresa (marketing e assessoria de imprensa) sem saber como agir. A Brastemp é um bom exemplo para usar porque conseguiu dois casos de marketing viral impressionantes: um muito bom e outro muito ruim. Um cidadão indignado com o péssimo funcionamento da sua geladeira e do SAC da marca postou um vídeo no YouTube que teve mais de 130 mil visualizações em poucos dias, além de ser o 2.º assunto mais comentado do mundo no Twitter.  A outra campanha, chamada “O dia que um sorriso parou São Paulo”, teve mais de um milhão de visualizações. Para quem não viu ainda:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=riOvEe0wqUQ&feature=player_embedded]

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=-Hc1kFvUTT4&feature=player_embedded]

Cristiane Tada